1 2 3 4 5 6

Humbucker

Humbuckers


   Captadores humbucker são chamados captadores duplos pois possuem 2 bobinas magnéticas em paralelo (saiba mais no vídeo abaixo). Foram criados para eliminar os ruído ( interferência elétrica) dos single-coils, sendo assim são vistos como uma evolução natural dos captadores. Chega-se a este resultado enrolando uma bobina ao contrário da outra, cancelando assim os chamados humming .


                                         

                                        Canal do Luthier Beto Nalin de Piracicaba, São Paulo.

  Em sua pagina ele demonstra inúmeras técnicas relacionadas a música e luthieria. Para mais informações visite os links abaixo.



 Utilizado em guitarras Gibson e de muitas outras marcas e modelos também, possui um som mais grave,e com maior saída( ganho)  em função do cancelamento de ruído.Com o passar do tempo, descobriu-se que o captador duplo (humbucker) funciona melhor que os single coils para distorções e overdrivers.




 Alguns usuários famosos de humbuckers : Angus Young (AC/DC), bandas de rock e metal (pois utilizam distorções mais pesadas) como Metallica, Megadeth, entre outros, músicos de jazz que querem som mais aveludado, John Scottfield, por exemplo.




                                 Angus Young com captadores Humbucker em sua Gibson SG




Seth Lover é geralmente creditado como o inventor do humbucking e, como tal Gibson definiu o padrão para todos os outros a seguir. O captador humbucker é mais poderoso do que a maioria dos single coils e isso, fez com que produzisse  um conjunto diferentes timbres. O captador é mais quente e tem um alcance de médios em comparação com o P 90, seu antecessor ( Saiba mais aqui).  Quase todos os fabricantes de captadores usam o padrão Gibson e a forma como o seu ponto de partida para o projeto humbucker.



Mini Humbucker


Mini-humbuckers : O nome diz tudo, são humbuckers de tamanho reduzido. Normalmente encontrado em guitarras Gibson Les Paul Deluxe, e Gibson Firebird. Possuem características de humbucker, porém com um som com menos saída, e uma característica de frequências médias única. Construção similar a de um humbucker normal, assim como os P-90, não pode ser instalado em qualquer guitarra, pois possui um formato único. Usuários famosos : Warren Haynes (Gov´t Mule/Allman Brothers), Pete Townshend (The Who ), George Benson (carreira solo).




                              Pete Townshend com uma Gibson Les Paul  com Mini Humbucker  




A maioria encontra-se  em Firebirds e alguns modelos Les Paul desde o final dos anos 60 e início dos anos 70.


A INVENÇÃO DO CAPTADOR HUMBUCKER
 






Um marco importante na eletrônica de guitarra foi introduzido em 1956 – o captador humbucking. No início de 1957 eles se tornaram padrão nos modelos Les Paul Goldtop e ES-175. Logo em seguida foi adicionado a outros modelos da linha Gibson.
               
 O princípio não era exatamente novo, uma vez que Seth Lover e outros já tinham usado a ideia do transformador opositor fora-de-fase em amplificadores com circuitos saturados. Os primeiros exemplos remetem ao final do século 19 em diversas outras aplicações. Mesmo Leo Fender colocou no mercado a sua guitarra havaina StringMaster com dois captadores single-coil ligados juntos com o princípio do humbucking sendo ativado quando os dois captadores trabalhavam juntos. Ele usou a mesma idéia no captador split-coil do Precision Bass em 1957.      
     A necessidade de ter instrumentos elétricos sem ruídos para concertos, transmissões de TV e especialmente gravações era uma demanda importante. Os músicos precisavam sempre se curvar e/ou achar uma posição que produzisse menos ruído, o que acabava sempre afetando a espontaneidade de quem toca, além do que, era muito comum acontecerem interferências elétricas causadas por postes de luz próximos ou ferramentas elétricas sendo utilizadas na vizinhança.
         Segundo Ted McCarty que foi presidente da Gibson de 1950 a 1966 a ideia de construir o humbucker surgiu de um instrumento francês chamado clavinet que tinha captador mas não tinha ruído. Mccarty foi à Paris para conversar com o engenheiro que tinha projetado aquele captador e ele descobriu que era um captador de duas bobinas que tinham sido invertidas de forma que o hum era cancelado.
        Após Ted retornar da Europa em 1954, ele logo acionou Seth Lover (sob a supervisão de Walt Fuller's) para começar a projetar um novo captador que resolveria o ruído indesejado dos já populares P-90 single coil. Este ruído de 60 ciclos era uma praga presente desde a origem da guitarra elétrica.

        Para acabar com isso eles descobriram que usando duas bobinas enroladas na mesma direção mas conectadas de uma forma que eles estejam fora de fase entre si iriam captar voltagens idênticas vindas de um campo externo, mas por causa da conexão eles cancelam o ruído captado externamente. A vibração da corda sobre elas induzem uma tensão de voltagem em uma bobina e a tensão oposta na outra bobina. E por conta da conexão estas voltagens se somam e os campos eletromagnéticos que estão distantes da corda se cancelam. Desta forma eles conseguiram um captador com uma saída mais forte uma vez que se têm duas bobinas adicionando voltagem.

Traduzindo: O captador humbucker consiste de duas bobinas simples como no single-coil, e sendo single-coil elas produzem ruído. A diferença está na maneira como elas estão conectadas. Se as duas bobinas estivessem na mesma direção as duas produziriam ruído; mas como uma bobina possui a polaridade invertida o ruído que é produzido por uma bobina é cancelado pelo ruído da outra e é assim que funciona o humbucker. Além de cancelar o ruído Seth Lover descobriu como pegar o sinal elétrico das duas bobinas e somá-los para que o captador tivesse uma saída mais forte dos que os tradicionais single-coils.

             
                    Eles levaram até o meio de 1955 para desenvolver o novo captador. Os captadores protótipos de Seth provaram que a ideia funcionava bem. Eles deram entrada no importantíssimo pedido de patente número #2,896,491 em 22 de junho, e basicamente deixaram o processo correr enquanto lançavam outros produtos Gibson. Existe uma conhecida Les Paul Goldtop experimental com dois protótipos de captadores humbuckers com capas feitas à mão e molduras. Uma vez que a Gretsch lançou o novo captador Filtertron em 1956, a Gibson foi logo preparar também o seu lançamento. Ainda no ano de 1956 começaram a chegar no mercado as primeiras Gibson Les Paul com captadores humbuckers moldando a música como conhecemos hoje.

                   Os primeiros captadores humbuckers vinham com um adesivo escrito "PAF" e eles acabaram ficando conhecidos por este nome, o que muita gente não sabe é que PAF significa  "pattent applied for", ou seja, que tem um pedido de patente registrado. A Gibson deu entrada no processo para registrar a nova invenção em 1955 mas o registro de patente só saiu mesmo em 1959 quando os humbuckers já eram padrão no mercado de guitarras.






                                        Sinal de patente da Gibson para proteger sua invenção




Diagrama de Funcionamento das chaves seletoras.


Guitarras SG:


Posição numero 1 . Utilizando o captador do braço.

Posição numero 1. 
Utilizando os captadores do braço.e da ponte

Posição numero 1 . Utilizando o captador da ponte.



Guitarras Les paul:



Posição numero 1 . Utilizando o captador do braço.

Posição numero 2 . 
Utilizando os captadores do braço e ponte.

                                         Posição numero 3 . Utilizando o captador da ponte.


Ler Mais

Single Coils




Single Coils


   São captadores simples porque apresentam apenas uma bobina . Mais facilmente encontrados em Stratocasters e Telecaster. Tem um som com bastante brilho, e uma característica "nasal" única ao modelo. Como "defeito" possui maior ruído. (Principalmente entre os ciclos de 60hz). 



                                        


 Importante lembrar que o pickup da ponte da Tele, não servem em outras guitarras, e single-coils (comuns) não servem ali. Alguns usuários famosos de single-coils : Jimi Hendrix, Mark Knopfler (Dire Straits), Ritchie Blackmore (Deep Purple).





  Jimi Hendrix com uma Fender Stratocaster

  A Stratocaster originalmente usava três captadores single coils idênticos. Esses captadores são muito mais um "cruzamento" entre os dois captadores da Telecaster em relação ao tamanho e design. Leo Fender corrigiu a altura dos polos magnéticos para uniformizar a resposta dos captadores nas stratocasters.



                                           


  A  Fender Telecaster original usava captadores single coil em ambas as posições de ponte e braço. O captador de ponte tele é bem conhecido pelo seu estalado e som "magro" e tem sido a voz dos deste modelo por mais de 50 anos. O captador do braço é menor em tamanho e tem um tom muito mais aveludado dando ao guitarrista uma ampla diversificação de timbres diferentes tornando assim uma das guitarras mais versastes até hoje.




               Richie Kotzen com uma Fender Telecaster








Stacked 


  Os chamados stacked são captadores que possuem 2 bobinas "empilhadas". Esse recurso foi criado para que se pudesse ter captadores com o som de single-coil, mas com o cancelamento de ruído dos humbuckers. O resultado não é exatamente esse, mas normalmente possui um som mais próximo aos singles, sem o ruído dos mesmo. Existem hoje em dia muitos modelos de stacked no mercado. Alguns com sons mais modernos e outros com o som mais vintage, mais clássico mesmo. Normalmente é referido ao stacked o nome de "humbucker em forma de single" apesar que essa pode ser uma característica dos Parallel também. Usuários famosos : Eric Johnson (Hs-2), Yngwie Malmsteen (HS-3 e YJM), Eric Clapton (Blackie, com Lace Sensors) 





Yngwie Malmsteen com uma  com captadores "Stacked"
Parallel Coils 


  Parallel coils ou Bobinas paralelas, são captadores que possuem uma construção semelhante a do humbucker, porém em tamanho de single. Os humbuckers todos são por definição parallel, mas normalmente se refere por parallel aos que possuem tamanho de single, como os "humbuckers em formato single" mesmo. Normalmente são usados para uma sonoridade mais moderna, mas podem ter outras aplicações. E muitos se referem a eles como humbuckers mesmo, mesmo não possuindo o formato dos mesmo. Temos também uma variação que seria o Hot Rails, captador com bastante saída e com polos dos captadores em formatos de lâminas, a grande diferença deste modelos aos demais é, que para bends ele transparece melhor. Usuários famosos : Kiko Loureiro (captador do braço/Angra), George Lynch (Captador do braço/Dokken/carreira solo), Andy Timmons (carreira solo).
 
 

Kiko Loureiro
 com sua antiga  Tagima K1 com captador Parallel Coils na posição do braço

Guitarra AT10P Andy Timmons com captador tipo Hot rails.



                   


Trisonic Pickups:
 
Estes são populares em grande parte devido à enorme influência de Brian May(Queen). Eles têm mais graves do que a maioria dos single coils com uma tonalidade puxado para os médios. Digamos que estão em algum lugar entre os captadores de strato e os P 90 . Graças a Brian May, o som vem se conectar em série estes captadores para um som mais pesado e poderoso comparado aos outros single coils.






 
 Brian May com sua guitarra "Red Special" com captadores tripsonic





Diagrama de Funcionamento das chaves seletoras.



Guitarras Stratocasters, Superstratos e outras... 






Posição numero 1 .
 Utilizando o captador do braço.

       Posição numero 2 . 
Utilizando os captadores do braço e o captador do meio.

Posição numero 3.
 Utilizando apenas o captador do meio.

        Posição numero 4.
 Utilizando os captadores do meio e o captador da ponte.



 Posição numero 5 .
                                                     Utilizando o captador da ponte.




Telecasters.


Posição numero 1 . 
Utilizando o captador do braço.

Posição numero 2 . 
Utilizando os captadores do braço e da ponte.

                                                               Posição numero 3 .
                                                      Utilizando o captador da ponte.
           


 
Ler Mais

Invasão Mooer na Barramusic

Este mês a Barramusic recebeu um carregamento pesado dos pedais Mooer. Para registar esta verdadeira invasão dos micro pedais, cada um da equipe da Barramusic escolheu o seu favorito. As imagens abaixo mostram bem a quantidade de pedais que estão a disposição, sem falar na diversão e piadas que esta sessão de fotografia rendeu.

Nem precisa dizer que o Prof. Beto Laureano pirou com o Cruncher.






Nossa prateleira de pedais carregada de Mooer.







Apesar de ser baixista, Rafael se rendeu aos timbres e dinamismo do Hustle Drive.



Léo "fritou" com o Solo.



Para muito Thrash Metal e Hardcore, eu Fernando escolhi facilmente o Rage Machine.



Ligado nas novidades, Leira testou e aprovou o recém chegado Shimverb Pro.



Tudo bem que o Felipe é batera, mas recomenda os pedais Mooer de olhos fechados.


Ler Mais

Street Volleyball - Barramusic


Com o patrocínio da Barramusic e das renomadas marcas de instrumentos musicais, ESP Guitars, Mooer, Warwick e Vintage conseguimos reiniciar esse projeto. Patrocínios esses conseguidos com nossa parceira com a Habro Music, importadora com mais de 20 anos de mercado, que representa varias das melhores marcas mundias de instrumentos musicais no Brasil!

Obrigado Habro Music por acreditar no esporte!



Segundo ano da nova versão do time de Volley que a Barramusic patrocina e ajudou a criar através do nosso diretor, Beto Laureano. Um grupo de amigos que envelheceu e agora está junto na categoria Master (veteranos) que de veteranos não tem nada.

Um grande projeto que mantém a sanidade mental e física do Beto!

"Através do volei consigo esquecer os inúmeros problemas que o governo nos cria! Passar por uma crise cambial junto com uma recessão e ainda uma crise fiscal criada pelo nosso governo estadual desde 2011, sem ficar absolutamente estressado não seria possível sem o vôlei! Esse grupo vai longe!" (Prof. Beto Laureano)

Em pé da esquerda para direita: Cilber, Bruno, Claudio, Marco Aurélio, Alexsander "Sobel", Alexandre Quick e Fabinho.
Abaixados da esquerda para direita: Leo "Xuxa" Beto, Bruno Di Santo, Angelo e Gustavo.
Citando ainda nosso libero Álvaro Vasconcelos.

















Ler Mais

HISTÓRIA DA FENDER - CAPÍTULO 2


A GUITARRA QUE MUDOU O MUNDO

No final dos anos 40 Leo Fender viu a necessidade de desenvolver uma geração completamente nova de guitarra elétrica. Ele estava intimamente familiarizado com as exigências dos músicos profissionais a quem servia e sabia que as tradicionais guitarras acústicas com archtop e captadores acoplados que a maioria dos músicos de country e de bandas dançantes estavam usando não eram os instrumentos certos para este tipo de música.


Os problemas que aconteciam com estes instrumentos mantiveram muitos guitarristas nos fundos dos palcos enquanto os cantores, as rabecas e as guitarras de colo estavam nos holofotes.
Claro que, estas mesmas guitarras elétricas hollowbody tinham sido uma revelação um pouco mais de uma década antes, permitindo que os guitarristas pudessem ser ouvidos em meio a uma big band, porém, estas guitarras não tinham uma sonoridade expressiva, eram propensas a feedback, e não maximizavam o potencial da amplificação disponível.

Detalhes do Projeto de uma telecaster

Leo Fender concebeu um plano para uma guitarra elétrica de corpo sólido que, da maneira como ele via, deveria satisfazer uma série de critérios de desempenho. Ela devia ter um som brilhante com bastante ataque e sustain; ser resistente ao feedback; ser relativamente simples e econômica de se fabricar, e deveria ter uma manutenção simples para que o próprio músico pudesse fazer na estrada. 

Uma antiga Fender Esquire que viria depois a se tornar a Telecaster

Para atingir estes objetivos, fender redesenhou totalmente o projeto do que era guitarra em si até aquele momento. O instrumento que conhecemos hoje como a Telecaster - chamado originalmente de Esquire, depois de Broadcaster - viveu de forma tão intensa e com sucesso que permaneceu como um ícone do rock, pop e country music por mais de 60 anos.

Keith Richards dos Rolling Stones usuário fiel da Telecaster

O som fanhoso, cheio e bem definido do captador single-coil da ponte da Telecaster praticamente definiu o som da guitarra solo na country music, enquanto  a incrível simplicidade e o braço confortável e rápido da guitarra fez com que ela se mantivesse atrativa e sendo usada por um campo muito diverso de instrumentistas. Como vocês podem perceber nos dois vídeos abaixo o som da Telecaster é realmente atemporal.




A Telecaster não foi a primeira guitarra de corpo sólido a ser lançada no mercado, Rickenbacker e a Bigsby haviam desenvolvido guitarras com essa característica alguns anos antes, mas eles as haviam feito em edições limitadas. O esforço bem sucedido de Leo Fender em inovação fez dela a primeira guitarra de corpo sólido produzida em massa. Muitos comerciantes de instrumentos musicais não levaram muita fé na Telecaster no começo e faziam piadas com a guitarra chamando-a de “prancha” ou “remo de canoa” – mas apesar da desconfiança dos lojistas a telecaster estava vendendo bem de qualquer forma.

Configuração clássica da Telecaster

No começo de 1951, a Fender trocou o nome da guitarra de Broadcaster após a Gretsch ter se oposto legalmente ao uso do nome uma vez que era muito similar a linha de baterias já conhecidas como “Broadkaster”. Por alguns meses o modelo da Fender foi conhecido como “Nocaster” até que o nome Telecaster apareceu nos headstocks nos primeiros meses de 1951. O nome Esquire que no começo serviu tanto para designar os modelos com um e o modelo com dois captadores hoje em dia é usado como nome do modelo que tem um captador na ponte somente.

Exemplo de Fender Esquire

O modelo Esquire não tem nenhuma relação com a linha Squier da Fender, uma sub marca de propriedade da Fender que produz modelos clássicos da empresa americana com custos mais acessíveis. Ao longo dos anos a Telecaster sofreu diversas modificações e ganhando novas características apesar de nunca ter tido nenhuma modificação no seu design fundamental. Dentre as modificações e experimentações feitas estão diferentes tipos de madeiras tanto no corpo quanto no braço, diferentes tipos de captação como humbucker, modelos signature de diversos artistas, além de modificações na parte elétrica como o inovador sistema S1 da Fender incluído em diversos modelos.   

Exemplo de diversas variações da Telecaster

Uma coisa que é certa de se dizer sobre o modelo Telecaster da fender é que depois de mais de 60 anos de história este instrumento ultrapassou barreira da ferramenta do artista. É um modelo de guitarra que por si só se transformou num objeto de arte, num objeto de desejo, uma parte importante da história da música e um verdadeiro ícone.


Ler Mais
 
Prof. Beto Laureano | by BARRAMUSIC ©2012